ATOS EM DEFESA DE LULA TOMAM AS RUAS DO BRASIL NESTE SÁBADO

categoria indefinida

ATOS EM DEFESA DE LULA TOMAM AS RUAS DO BRASIL NESTE SÁBADO

Neste sábado (13), diversas capitais pelo país organizam atos em defesa da democracia e do direito do ex-presidente de disputar as eleições presidenciais de 2018.

Os atos são organizados pela Frente Brasil Popular, entidade que reúne movimentos populares, partidos políticos e centrais sindicais, como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Em Brasília, o ato aconteceu na Feira da Ceilândia com participação expressiva do gabinete do deputado Chico Vigilante.

Em São Paulo, o Lançamento do Comitê Popular em Defesa da Democracia e de Lula, foi às 11h da manhã, no diretório municipal do PT. Em Porto Alegre, a mobilização aconteceu nos Arcos da Redenção, no Parque Farroupilha, com aulas públicas da filósofa Marcia Tiburi, da senadora e presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, e da pré-candidata à Presidência da República pelo PCdoB, Manuela D’ávila.

Segundo Gleisi Hoffmann, é importante que os movimentos populares se articulem na defesa do ex-presidente neste momento.

“Os Comitês dão visibilidade material à campanha em defesa da democracia e do Lula ser candidato. E ao mesmo tempo, mobilizam não só a militância, mas também pessoas que querem ter uma forma de participar desse processo de defender a democracia e o Lula”, disse a presidenta do PT.

Irregularidades
O julgamento do Tribunal Federal de Porto Alegre aconteceu em tempo recorde. O recurso de Lula começou a tramitar no tribunal no dia 23 de agosto, 42 dias depois da condenação pelo juiz Sérgio Moro, no caso do “Tríplex do Guarujá”. O recurso também passou à frente de outras sete ações da operação Lava Jato, cujos recursos haviam chegado antes ao Tribunal.

Para a senadora, a sentença do juiz Sérgio Moro contra o ex-presidente dispensou argumentos jurídicos e se baseou apenas em convicções. Por isso, os comitês pela democracia são vitais para que o processo legal seja respeitado.

“Como nós estamos tendo uma decisão, uma atuação política do Judiciário, nós achamos que o Judiciário tem que ser pressionado de forma política, a se pautar pelo devido processo legal e por argumentos jurídicos. Tanto que vários juristas, pelo menos 122 juristas, se posicionaram em artigos que foram publicados em um livro, exatamente questionando isso”.

Com informações do Brasil 247

Equipe Chico Vigilante

Equipe Chico Vigilante

Deixe uma resposta