“Brasil não pode chegar a esse ponto”, protesta Chico Vigilante, sobre ataques a jornalistas

“Brasil não pode chegar a esse ponto”, protesta Chico Vigilante, sobre ataques a jornalistas

 

Durante a sessão ordinária da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) desta terça-feira (5), o deputado distrital Chico Vigilante (PT) reclamou das agressões sofridas recentemente pelos jornalistas Sylvio Costa, diretor do Portal Congresso em Foco, e Miriam Leitão, colunista do grupo Globo. Costa teve uma festa na sua casa interrompida pela PMDF porque convidados gritaram “Fora Bolsonaro”. Ele foi obrigado a assinar um termo circunstanciado e quase foi detido. Já Míriam, que foi torturada na época da ditadura, teve o episódio ironizado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP).

“Tive a oportunidade de ligar para o Sylvio e demonstrar minha solidariedade. Isso não pode acontecer na capital da República. Isso daqui não é a Hungria que tem um primeiro ministro de extrema direita que cala a boca dos jornalistas, prende e mata”, afirmou Vigilante. Sobre Miriam, ele considerou o ataque foi “nojento, abjeto e repugnante”. “É essa família, com pessoas com essas práticas, que estão comandando o país. Isto aqui não é uma republiqueta de bananas. O Brasil já foi a 6ª maior economia do mundo e não merece chegar a esse ponto”, protestou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.