Chico Vigilante pede união de todos durante evento de 42 anos do PT

Chico Vigilante pede união de todos durante evento de 42 anos do PT

 

Com um conjunto de três solenidades no Conic, em Brasília, o Partido dos Trabalhadores comemorou, nesta sexta-feira (11), os 42 anos de existência da sigla no Distrito Federal. O evento foi marcado pelo plantio de um Baobá na Praça dos Aposentados, a inauguração da nova sede do PT numa das salas do centro comercial e cultural e, por fim, um ato na Praça Zumbi dos Palmares, na área da frente do prédio, com a presença de artistas, militantes e políticos.

Um dos primeiros a se manifestar, o deputado distrital Chico Vigilante (PT), que foi um dos criadores do partido no Distrito Federal, falou da satisfação de comemorar a data e lembrou do momento vivido no país, que exige a união das forças de esquerda, diante dos retrocessos observados nos últimos tempos, do fascismo e do negacionismo.  “Estou muito feliz por estarmos de volta ao Conic. Foi no antigo comitê do PT aqui localizado que comemoramos as vitórias do PT no DF em 1994, e também a primeira eleição de Lula”, disse ele.

Vigilante destacou que o partido precisa ter consciência de que o momento tem de ser de união. “Precisamos sair desse período sombrio em que estamos vivendo, ter coragem e unidade”, enfatizou o parlamentar.

O Baobá plantado na praça em frente à sede do PT tem um valor representativo forte para os integrantes do partido de duas formas. Primeiro, porque mostra o enraizamento do PT com as lutas sociais e a defesa de todas as forças de vida em seus habitats. “Mostra que existe uma outra possibilidade,  que nos reconecta com o que a natureza foi para a gente lá nos primórdios e que podemos mudar como um todo. Mudar o país e mudar tudo o que tem acontecido nesses tempos difíceis”, disse o secretário setorial de Meio Ambiente da legenda no DF, Henrique Torres.

O outro significado do plantio foi para marcar a importância da igualdade racial. “O Baobá é uma árvore ancestral e tem muito significado para os negros do Brasil. É também visto como um símbolo de aprendizagem e de encontros. Por isso, estamos aproveitando para homenagear aqui, também, o jovem negro Gustavo Henrique, assassinado recentemente em Samambaia”, contou o secretário de Combate ao Racismo do PT no DF, Daniel Kibuko.

Numa pequena cerimônia, integrantes de entidades religiosas diversas fizeram um ritual para o plantio e a reverência ao jovem assassinado que vai dar nome ao Baobá, na presença de seus familiares.

Já o comitê, que teve a faixa de inauguração cortada pelos parlamentares e dirigentes da sigla, como Chico Vigilante, a deputada federal Erika Kokay, o ex-deputado federal Roberto Policarpo, o atual deputado distrital pelo PV Leandro Grass e o dirigente Jaci Afonso, foi considerado uma iniciativa para ampliar ainda mais o espaço de diálogo com a população. “Vamos transformar esse comitê num espaço vivo, de encontro e de debates em torno da candidatura do presidente Lula e de melhorias para o Brasil”, afirmou Afonso.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.