CLDF dá prazo máximo para renovação de frota de ônibus. Mudança do texto teve Vigilante como um dos autores

CLDF dá prazo máximo para renovação de frota de ônibus. Mudança do texto teve Vigilante como um dos autores

 

Os deputados da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aprovaram hoje (22), durante sessão ordinária, a alteração do texto do Decreto Legislativo que trata da exigência de renovação das frotas de ônibus por empresas de transporte público de passageiros, com o objetivo de prorrogar o prazo para essas substituições – mas mediante alguns critérios técnicos.

A mudança foi feita pelo deputado distrital Chico Vigilante (PT) e o presidente da Casa, deputado distrital Rafael Prudente (MDB), depois de acordo firmado na última semana, durante debate sobre o tema em comissão geral realizada na CLDF. E envolve a melhoria do transporte público de todo o DF. Na prática, o novo texto estende por mais 180 dias o prazo para renovação das frotas de ônibus em circulação em Brasília e Regiões Administrativas, com acompanhamento direto dos parlamentares nessas substituições

No decreto, aprovado o ano passado, tinha sido acertado que ônibus com mais de sete anos de uso teriam de ser substituídos até o final deste mês, o que resultaria na saída de circulação de 1.126 destes veículos. A medida consiste numa iniciativa para garantir maior segurança e conforto na mobilidade da população do Distrito Federal, de modo a resolver gargalos históricos existentes no setor. Mas as empresas de transporte público de passageiros argumentaram que não teriam condições de fazer a substituição de parte destes veículos em tempo hábil até a próxima segunda-feira (28), quando se estende o prazo.

 Gravidade – Sendo assim, o prazo passa a ser estendido até 28 de agosto, para reposição completa da frota que se encontre em tal situação. “Esse problema é de uma gravidade enorme. Aceitamos alterar o prazo, mas esperamos que a renovação aconteça o quanto antes”, afirmou Chico Vigilante. “Vamos acompanhar de perto a situação destas empresas”, acrescentou ele.

O novo texto do decreto também exige da secretaria de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal o compromisso de apresentar à CLDF dentro de 60 dias todos os contratos assinados com as empresas que fabricam esses ônibus e a execução dos trabalhos.

“Vamos investigar a qualidade do transporte público oferecido no Distrito Federal. Não podemos mais ter usuários pegando ônibus com muita sujeira e animais mortos, como tem sido visto e denunciado tantas vezes, nos últimos anos.  Também não podemos continuar vendo a população ficar à mercê de latas velhas que vivem quebrando nas estradas”, reclamou o distrital.

Chico Vigilante ainda lembrou que no último ano, a Câmara Distrital aprovou mais de R$ 700 milhões a título de tarifa técnica para essas empresas de transporte público, diante do argumento da secretaria de Mobilidade de que, se não houvesse essa tarifa, o valor das passagens ficaria em R$ 10,90.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.