GDF precisa definir pauta da Reforma Agrária

Notícias

GDF precisa definir pauta da Reforma Agrária

Nessa quarta-feira (25) o Auditório da Câmara Legislativa ficou lotado para debater a situação da política de reforma agrária no Distrito Federal. Uma iniciativa dos deputados do Bloco PT/PSOL, formado pelo meu mandato em conjunto com os companheiros Arlete Sampaio e Fábio Felix.

Foram mais de 400 pessoas, ligadas às organizações do campo dentre ativistas, movimentos populares do campo e trabalhadoras e trabalhadores rurais.

Já estamos próximos ao último trimestre do primeiro ano do mandato e, até o momento, o Governo do Distrito Federal não se pronunciou sobre a pauta da reforma agrária no DF.

A pauta da reforma agrária é mais importante, agora, nesse momento pelo qual atravessamos no qual o presidente da República é reconhecidamente aliado do agronegócio e dos latifundiários e que, constantemente, criminaliza os movimentos dos trabalhadores da terra.

E pior, quer armar os grandes proprietários para intimidar os movimentos da reforma agrária. É preciso que os movimentos sociais da terra se unam para resistir a essa época sombria, pois, nós regredimos no tempo e regredimos muito.

A deputada Arlete lembrou que fez parte do governo que estabeleceu o primeiro assentamento rural no Distrito Federal. Ela disse que é visível a dificuldade atual do movimento com o governo atual que ainda não se pronunciou sobre qual política vai adotar para a reforma agrária. Arlete ressaltou que vai brigar para que mais áreas sejam reservadas para assentadas.

Fábio Felix afirmou que a pauta agrária necessita ser uma prioridade no Distrito Federal e que é preciso saber qual a perspectivas do atual governo de Brasília para com as políticas da reforma agrária.

Para o dirigente nacional do MST e representante dos movimentos do campo unitário, Marcos Baratto, é necessário que o GDF garanta ampla participação para a reconstrução do programa de assentamento rurais do DF e dê agilidade na consolidação da comissão política de assentamento CPA para que, democraticamente, possamos assentar as 3 mil famílias acampadas no DF.

No fim do debate, informei que nosso Bloco vai solicitar uma audiência com o governador Ibaneis Rocha, os presidentes da Terracap e do Ibram e os secretários de Agricultura e de Meio-Ambiente, para receber os representantes dos movimentos para debater uma agenda de reivindicações para a reforma agrária no Distrito Federal.

Equipe Chico Vigilante

Equipe Chico Vigilante

Deixe uma resposta