LULA DESMONTA SHOW MACABRO ARMADO POR TOFFOLI

Artigo

LULA DESMONTA SHOW MACABRO ARMADO POR TOFFOLI

Impedir Lula de dar o último adeus a seu irmão mais velho foi a maior demonstração de barbárie política que a turma do poder no Brasil deu até agora. Demonstram como são experientes na sevícia e na selvageria visando única e exclusivamente destruir a alma do homem que hoje estaria no Planalto se não tivesse sido condenado e encarcerado sem provas.

Passei o dia 30 de janeiro de 2019 acompanhando os noticiários sobre a morte de Genival Inácio da Silva, o Vava, irmão de Lula, que morreu dia 29. Ele e Frei Chico são considerados por Lula fontes preciosas de amor e de ensinamentos. Verdadeiros pais.

Li informações de vários jornalistas e juristas de que o direito de sair da prisão para velar pais, irmãos, ascendentes e descendentes está garantida pela Lei de Execuções Penais a qualquer brasileiro e que segundo Lênio Streck em artigo no DCM a Lula foi negado um direito que não se nega a ninguém há milênios no mundo.

No Brasil, todos os presos que pediram para acompanhar velórios de parentes foram autorizados. As notícias apontam que 185 mil presos saíram para acompanhar enterros de entes queridos, durante o ano de 2018.

Me lembro da época em que D. Lidu, mãe de Lula, faleceu. Ele, preso durante a greve dos metalúrgicos, momento de muita efervescência sindical no país, estava encarcerado no temido DOPS, Departamento de Ordem Política e Social.

Na ocasião, o delegado Romeu Tuma, chefe do DOPS, e mais tarde senador da República, mesmo sob o regime ditatorial, cumpriu a lei e levou Lula ao velório. O Tuma não teve medo de ninguém, garantiu o cumprimento da lei e os direitos de Lula.

O regime que aprisiona Lula hoje é pior do que qualquer ditadura. Hoje os fariseus, delegados, juízes e quem mais se mete no meio, se apequenaram ainda mais diante da Nação sob a alegação de que Lula não deveria sair porque haveria risco de resgate. Resgate por parte de quem? Lula sempre foi um cumpridor da lei.

Se naquele tempo, com altíssimo nível de mobilização, os metalúrgicos não resgataram Lula, hoje, todos sabem, não existe clima para que isso aconteça.

Essa alegação é resultado da instituição do cinismo na Justiça brasileira, no Ministério Público e nos tribunais, por parte de “justiceiros” que não fazem justiça, mas tem medo da força de Lula. As prisões brasileiras estão cheias de bandidos com celulares funcionando para comandar o tráfico e outras barbaridades, mas os justiceiros não parecem se incomodar com isso. São medrosos, covardes!

O que mais assombra os homens de bem deste país, é constatar que nem o presidente da Suprema Corte, o ministro Dias Tóffoli respeita a Constituição. Teve tempo suficiente mas só liberou a permissão a Lula para se encontrar com a família depois que o enterro já estava acontecendo.

O mais exdrúxulo é que ele sugeriu que o defunto – como se isso fosse fácil – fosse levado até uma unidade militar onde Lula estaria ainda encarcerado sem contato com o público.

O que Tóffoli queria, na verdade, era submeter Lula a um vexame ainda maior.
Que mecanismo seria esse? Obrigar um defunto a entrar num quartel? Com certeza Vavá não queria isso.

Esse governo como um todo transforma o Brasil em motivo de piada internacional: o presidente do STF manda um defunto visitar o irmão preso num quartel! E ainda quer transferir a responsabilidade do mico para a família.

Lula se negou a fazer parte deste show macabro.

Dedico aos algozes de Lula trechos do Salmo 58 da Bíblia: “Será que vocês poderosos falam de fato com Justiça? Será que vocês homens julgam retamente? Não, no coração vocês tramam a injustiça e na terra as suas mãos espalham a violência… seu veneno é como veneno de serpente … quebra os dentes deles, ó Deus; arranca senhor as presas destes leões!… os ímpios serão varridos antes que suas panelas sintam o calor da lenha… os justos se alegrarão quando forem vingados, quando banharem seus pés no sangue dos ímpios. Então os homens comentarão: de fato os justos tem sua recompensa; com certeza há um Deus que faz justiça na terra”.

Chico Vigilante, deputado distrital (PT/DF)

Assessoria de Comunicação

Assessoria de Comunicação

Deixe uma resposta