MORO TIRA A MÁSCARA DE JUIZ E MOSTRA A CARA DE FASCISTA

Artigo

MORO TIRA A MÁSCARA DE JUIZ E MOSTRA A CARA DE FASCISTA

Neste primeiro de novembro de 2018, véspera de Finados, temos razões de sobra para prantear a morte da democracia brasileira.

Em primeiro lugar pela eleição de um candidato de extrema direita fascista que já no início da campanha foi aos EUA bater continência para a bandeira americana.

Para completar o roteiro da farsa golpista vemos a escolha do juiz Moro para ministro da Justiça – prova cabal de que a Lava Jato foi instruída e pensada fora do Brasil para arruinar nossa economia, destruir e entregar as empresas brasileiras ao capital internacional, principalmente o americano.

O mundo assiste hoje escandalizado a este convite que desvenda o papel que Moro e a Lava Jato tiveram na concretização do golpe.

Os brasileiros – trabalhadores, cientistas, estudantes, artistas, jornalistas – defensores da democracia e dos direitos humanos estão estarrecidos diante de tanto cinismo.

Moro ganha como prêmio a pasta da Justiça por ter prendido sem provas o maior líder político da América Latina e por mantê-lo preso numa solitária, no momento em que ele ganharia no primeiro turno as eleições presidenciais do país.

A finalidade foi apenas uma: permitir que o candidato fascista ganhasse as eleições.

Esta é uma demonstração clara de que a Lava Jato sempre teve lado; de que a Lava Jato é mais um instrumento de destruição da democracia do que de combate à corrupção.

Se quisessem realmente combater a corrupção já teriam colocado na cadeia a nata dos golpistas, até hoje solta.

Ao aceitar o cargo de ministro da Justiça de um governo fascista Moro tira de vez a máscara e se mostra ao mundo do lado a que sempre pertenceu, o do fascismo.

Nós que enfrentamos os tanques e as baionetas da ditadura, lutamos e morremos nas ruas, não temos medo de mais um no time dos fascistas. Não vamos nos acovardar.

Que Moro não pense que de juiz da Lava Jato ele se transformará, em Brasília, em xerife do Brasil, impondo a todos regras autoritárias.

O Brasil não precisa de mais xerifes, precisa de civilidade e respeito à Constituição.

Chico Vigilante Lula da Silva
Líder do PT na Câmara Legislativa do DF

Assessoria de Comunicação

Assessoria de Comunicação

Deixe uma resposta